Não estamos mais vivendo no mundo, estamos vivendo em nossa cabeça

Ao praticar o silêncio, você consegue por os pensamentos de lado e desta forma você consegue abrir a porta para seu interior, consegue mover-se para dentro de si e encontrar sua própria inspiração.

Quando não estamos apenas pensando, e sim perdidos no pensamento, nós ultrapassamos o ponto de virada: não estamos mais vivendo no mundo, estamos vivendo em nossa cabeça. A mente quer entender, quer uma resposta racional para tudo, porém algumas respostas não podem ser obtidas pela mente. Podemos estudar as teorias do amor, mas só sabemos o que é o amor quando sentimos o amor. O conhecimento é o mapa. A experiência é o território real.

Quando estamos dispersos, estamos em outro lugar que pode ser bem longe da realidade presente a nossa volta. Pensar por si só não é um problema, pensar torna-se problema quando estamos perdidos no pensamento e entramos num mundo que nos desconecta da realidade da vida. O que fazer então?

Não é possível parar de pensar apenas desejando parar de pensar ou dizendo para mente parar de pensar. Na verdade, nosso objetivo nem é parar de pensar. Estamos sugerindo que você aprenda a se conectar e viver a realidade e aprender com ela. Ou seja, é preciso experenciar para trazer um verdadeiro aprendizado para você. Ao invés de pensar sobre algo, podemos nos sintonizar diretamente com algo. Ter a experiência direta ou invés de divagar sobre a experiência. Quando uma pessoa fala para você que tem um filme muito bom no cinema, o mais engraçado é que mesmo sem você ter visto o filme é capaz de dizer a outra pessoa que tem um filme muito bom no cinema, mesmo se você ter visto o filme. Ainda tem mais, depois que você ver o filme, você nem gosta tanto dele assim. O que acontece aqui é bem claro. O que pode ser bom para um, não necessariamente é bom para outro. E você já estava falando do filme, sem nem ter vivido a experiência de assistir ao mesmo.

Através dos pensamentos conhecemos indiretamente algo sobre uma experiência. Enquanto no modo de atenção pela podemos descobrir outro tipo de conhecimento. A Experiência direta proporciona que possamos entrar em contato com os sentimentos em relação ao que está acontecendo e está conscientização se torna o próprio conhecimento.

Podemos planejar uma viagem, pegar dica com alguns amigos e até ver fotos de uma determinada cidade ou ponto turístico, trilha, etc. Fazer a viagem e estar presente nestes locais são experiências muito mais ricas e verdadeiras, são reais. Não é porque lemos ou sabemos de algo que verdadeiramente significa que aquilo é verdade para cada um de nós. Muitos vivem como um papagaio repetindo palavras, sem nunca ter vivido nada relacionado a ela. A sugestão de viver a experiência direta é que você possa falar a partir da sua experiência e não através dos seus pensamentos.

Shopping Basket